Adalberto Fonseca

Tal como pássaro perdi a liberdade
Partiram-me as asas…
Mas depressa tornei a voar
Pois a vida não pode parar
E aprendi que precisamos mudar!