Américo Duart Lopes

Ter a capacidade de viver com os meus defeitos como Pai, é uma forma de mostrar aos meus filhos que eles próprios não têm de ser perfeitos, porque o que é o “bom” por vezes é melhor que o que é o “ótimo.”
Nenhum Pai, muito menos eu, pode ser comparado a outro Pai. Eu sei ser Pai do meu filho, mas não sei sê-lo dos filhos dos outros, porque esses têm, de certeza, o melhor Pai do Mundo.