Francisco Agrela

Quis o destino pintar no céu.
Uma estrela brilhante e singela.
O nosso amor entorpeceu.
Num mundo que passou a ser dela.